Produtos prejudiciais à saúde deixam de estar à venda nas escolas.

Sandes de chouriço, croissants, empadas ou batatas fritas são alguns dos alimentos que passam a ser proibidos nos bares das escolas públicas, onde também deixará de haver hambúrgueres, cachorros-quentes e sumos com açúcar adicionado.

Estas são algumas das restrições previstas num despacho do Gabinete do Secretário de Estado Adjunto e da Educação, publicado ontem em Diário da República, que limita a «venda de produtos prejudiciais à saúde» nos bufetes escolares e nas máquinas automáticas.

Este documento, que resulta de uma parceria entre a Direção-Geral da Educação e a Direção-Geral da Saúde, estabelece as normas de organização e funcionamento dos bufetes escolares, contemplando informação sobre os alimentos que podem ou não ser disponibilizados, bem como as normas a ter em conta na elaboração das ementas escolares.

O despacho estabelece ainda as condições para a limitação de produtos nas máquinas de venda automática existentes nos estabelecimentos de educação e de ensino da rede pública do Ministério da Educação.

Para saber mais, consulte:

Despacho n.º 8127/2021
Educação – Gabinete do Secretário de Estado Adjunto e da Educação
Estabelece as normas a ter em conta na elaboração das ementas e na venda de géneros alimentícios nos bufetes e nas máquinas de venda automática nos estabelecimentos de educação e de ensino da rede pública do Ministério da Educação

Saiba Mais em: https://www.sns.gov.pt/noticias/2021/08/18/alimentacao-saudavel-nas-escolas-2/